terça-feira, 8 de março de 2011

ESCRITO AOS 6 ANOS DE IDADE

(Por Diego EL Khouri)

Viver de arte e não se corromper é dificil. Ainda mais nesse mundo frio e capitalista. Para muitos a visão é estabelecida pelos modismos e pelo que vigora na midia. Andar na contra corrente disso tudo é um ato de coragem. Às vezes a vontade  de despencar no abismo é grande, mas quando se está ligado nos desejos atemporais não desistimos. Me perguntam que retorno a arte me proporciona. Eu digo inúmeros, mas não me escutam. Encaram a vida apenas pelas estradas monetárias. Minha meta é produzir  arte, conscientizar os "cegos" escravos do sistema,  e o que atrapalhar e me impedir nessa luta, nesse ideal eu abandono de vez. Meu compromisso portanto é apenas com a Arte. Desejam que eu arranque isso de minha alma e de minhas ações, porém não é bem assim. Saibam enxergar minha meta, meu objetivo!!

 Fazendo uma faxina no meu quarto achei um caderno de escola onde contém contos, frases e poemas de minha autoria. Todos escritos aos 6 anos de idade (ainda sim querem que eu abandone algo inerente ao meu ser de uma vez??). Aqui transcrevo alguns sem nem tirar os erros ortográficos. Eis aí:





Meu nome é Diego El Khouri.
Vivo com papai e mamãe.
Estudo no Educandário Mundo Encantado.
Sou moreno, sou alto e  eu gosto de brincar.

********************************************



O vento passa...

Não passa sozinho.
Ele leva consigo as borboletas,
As plantas do mato ou de outros lugares,
Levando os óculos dos homens que usam

**********************************************


eu chamo Pink.
Na casa de meu querido Lulu.
Eu gosto de caçar gatos feios, lindos e carecas.
Eu como leite e chupo osso.
Eu encontrei no mar a baleia assassina.
Ela era muito gorda, é claro ela é uma baleia.
Não. Porque ela gorda.
Ela me amassou muito.

*******************************

pequenino quer su burro.
dono burro
pequenino fofinho
grandão bonitão de peitão
pequenino
dono gordinho.



A liberdade

Sabem eu gostaria de ter uma liberdade. Eu vou contar uma história da minha liberdade que eu queria ter.
Eu queria morar numa fazenda bem grande mesmo. Eu queria andar de cavalo todo o dia, nadar no córrego bem grande, trabalhar e assim ir numa praia e num hotel. E voutar para a Orizona e comesar todo de novo e voar de foguete em todo lugar do mundo enteiro e ir no planeta saturno  e umas horas eu vouto a trabalhar muito e trabalhar na roça.

**********************************************************************

Trapalhadas rurais

Era uma vez numa fazenda bem distante. Num banco um ladrão passou num banco, num banco passou no banco e daí o ladrão entrou nele rapidamente.
E o ladrão disse:
-- É um assalto medê todo o dinheiro do banco.
-- Aiiiiiiii, Socorro! Socorro! Socorro! Ioooooooooooo bum!
-- O meu carro de policia estorou, mas eu pego ele!
-- Ione, Luís  e Fabiu, vocês vão pegar o dinheiro!
-- E eu vou pegar ele vocês três já sabe!
-- Nossa é a policia, é o Ione, Luís, Fabiu e o Tião, droga!
-- Pega ele vamos turma!
-- O não, Socorro! Aiiiiiiiii!
Trinta dias depois
-- Ainda bem que prenderão ele.
-- Policia me mata, não agüento mais, tira ele!
E aí todos ficaram felizes para sempre.
Mas ele não.

***********************************************************

Sapo cururu

Ele vive na beira do rio.
Ele mora no fundo do rio.
Ele é bem verde, ele come muito
mosquito e ele ficou muito gordo,
tanto que mas ele comeu muito
o mosquito ele explodiu
de tanta gordura.

*****************************************************

As crianças brigava pelo caminhão.
A mãe dos meninos chamou atenção deles.
A mãe entregou um outro carrinho.
As crianças também brigavam pelo outro carro.

**********************************************

A menina corre feliz no campo de futebol

***********************************************

Paula encontrou um tesouro perdido numa caverna do pirata Barbanegra  dos homens dele.

****************************************************

Todos os alunos estavam calados na sala de aula.


Os peixes nadam livres e felizes no mar e no riu.

***********************************************

Meus amigos e eu jomamos bola na rua.


8 comentários:

  1. se você escrevesse certo
    seria rio de outra coisa.

    soltaste o b a bá.

    ResponderExcluir
  2. 6 anos??? Deve ser a sua criação...boa criação! Difícil é encontrar crianças que façam algo semelhante, hoje em dia. Nem com uma boa criação...O Playstation etc, tomam todo o tempo deles...

    ResponderExcluir
  3. Tá bom! Na minha infância, tinha o Atari e o Odissey. Ficava horas na casa dos amigos jogando. Mas, quando eu tinha nove, já tinha lido boa parte dos livros "Enrola e Desenrola" e a coleção do "Asterix". Só o "Capitães de Areia" Do Jorge Amado, eu li umas sete vezes, até meus onze anos.

    ResponderExcluir
  4. É...mas com 6 anos,que eu me lembre bem, ainda estava na Alfa. Muito mal,sabia ler...

    ResponderExcluir
  5. é criação minha sim esses textos

    ResponderExcluir
  6. Pena que queimei, rasguei e destrui tudo que tinha em cadernos antigos. Dos meus trabalhos antigos não sobraram nada, ou quase nada.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Ah... E criação que o Alexandre disse, seria que deve ter sido pela criação que seus pais te deram que fez com que você começasse tão cedo. Incentivo a leitura e tal.

    ResponderExcluir